O que for da profundeza do teu ser,
assim será o teu desejo.
O que for o teu desejo,
assim será a tua vontade.
O que for a tua vontade,
assim serão os teus atos.
O que forem os teus atos,
assim será o teu destino.
(Brihadaranyaka Upanishad IV, 4.5)