(...) Livre-se desta indiferença estúpida, sonolenta, preguiçosa, desta negligência indolente, que prende os homens aos mesmos caminhos de seus antepassados, sem indagação, sem raciocínio e sem ambição, e com certeza, você estará fazendo o bem (...)
(Arthur Young)