Disseram


De nada adianta a liberdade Dizem que são sete Quando me perguntam
Só se morre uma vez Todas as religiões Não se adia
Daquilo que não se pode falar Não complique as coisas Na véspera de não partir
Os ausentes Dando ouvidos apenas A covardia
A decadência de uma sociedade Acreditar no humano Vamos deixar o pessimismo
De tudo ficaram três coisas Desejo primeiro Dois excessos
Livre-se desta indiferença A arte não está Quero ser lembrado
A vida é suportável A máquina do mundo Afinal de contas

Quando era mais jovem

Sou velho

O que os céus encobrem

Para que repetir

Escrever é

A literatura é essencialmente

Aqui os mortos A palavra escrita Se você perder a capacidade
A leitura nos ensina coisas Quando a cegueira Por mais frágil
Me ame quando eu Ninguém muda a vida De tanto ver triunfar
Não temos nunca convicções A bestialidade humana O rompimento sem explicações
O adeus, inevitável O isolamento voluntário O real não está na saída
Onde estás, felicidade? O enigma não existe E preciso reivindicar
O homem tem uma grande vantagem Não digas Tudo que é sólido
Mas você sabe As coisas das quais Em algum lugar longínquo do
Aqui sobre os vossos peitos Mas como pode um homem O ser humano só cumpre
Comece pelo princípio Grande é a arte Os dias prósperos
É preferível a angústia Quero você Que arda em nós

Pra meu espanto

A metade do que eu digo

Senhor Deus

Pai, ajudai-me

Quando um homem

O trabalho

Como poderei

Ao Diabo

O êxito é conquista

Um dia, inevitavelmente

A liberdade

Peregrinos somos

Minh'alma

Todas as coisas

Trazemos dentro

Não há nada escondido

Há numerosos prodígios

Nenhum homem

Quem ignora

Desconfiai do mais trivial

Vós que viveis

 Humana é a injustiça

Se tu pudesses

Realmente, eu vivo

Às cidades cheguei

As ruas do meu tempo

Hay hombres que luchan

Livre-se desta indiferença

Escreva insultos

Não vale a pena

Se você tem um trabalho

O sucesso é efêmero

Quem decide

Entre os diversos

Estou devotado

Em vão quiseram

Quase tudo pode ser

Se um homem

Se deres um peixe

 Alguns morrem

Existe uma pergunta

À geração dos anos 80

O que for da profundeza

Os povos que esquecem

O dom de atiçar

Aquilo quenão nos mata

Quem saiu

Quando me encontro

É preciso sonhar

A injustiça

Discordo de tudo

There's no sucess

Porque o amor está

Não é triste mudar